14 de maio de 2012

Uma mente sem lembranças, tampouco teria um brilho eterno. rs

Alguma vez na vida você já pensou em se mudar lá perto de onde Judas perdeu as botas e começar a vida do zero, sem passado?

É possível, apagar sua história ou, pelo menos, reescrevê-la só contando a parte "bonita"? Não precisa apagar de você (já que cada experiência, longa ou curta, triste ou feliz, a tornaram a pessoa que você é hoje), só não precisa passar adiante.

Eu não sei se já escrevi isso aqui ou em outro lugar, mas uma coisa que aprendi do meu último momento "fundo do poço" foi que ser honesto não é sinônimo de ser psicoticamente transparente. E, se por acaso, você optar por ser papel manteiga, esteja segura de que "o teu passado não te condena"...quem te condena são os outros e só você pode permitir esse tipo de atitude.

De uns tempos pra cá meu passado-passado e meu passado-menos passado, se fizeram presente. Foi aí que eu percebi o quanto é fácil você fazer com os outros o que você não gostaria que fizessem com você.

Pra um, eu tenho muitas perguntas que nunca foram respondidas e não consigo entender qual a dificuldade em me dá-las (e aí, já dá pra falar? Eu ainda estou disposta a ouvir), ao mesmo tempo que não sei até que ponto estaria disposta a sentar e conversar com o outro. Talvez somente se isso significasse por um ponto final no ponto final.

Cada dia mais, a ideia de contratar uma personal-mind-organizer parece-me muito sensata.rs

Beijos,
Betty.

4 comentários:

Gisele Fabbris disse...

Se achar um profissional desses me passa o número!!! :)

Jessie Miranda disse...

BettyFlor, se você morasse aqui em Sampa, talvez você fosse essa minha personal, e eu sua.

Já faz um tempo que não sei se o passado é meu passado, ou se é presente, e será o futuro.

E a dor maior está na indefinição.
Hoje com seu "desabafo" tirou lágrimas dos meus olhos, uma prova de que, não importa a forma que você escreva, desde que você sinta.

E ponto!

Saudades.

Malu disse...

hehe, seriam horas e mais horas de tricô e toneladas de minhocas gordas indo ralo abaixo, né, Jessica.

Quanto ao seu presente, não estou atualizada, mas torço muito pra que seja futuro. Sempre.

Chorar é bom. Eu acredito de verdade que alivia a alma. Exceto pelas rugas. rsrs. Fica bem.

Beijos!!

Jessie Miranda disse...

Não tenho dúvidas! Seriam horas e horas construindo e desconstruindo idéias, loucas e lúcidas também!

Fico feliz com a torcida, afinal meu "pseudofuturo", é o grande culpado por nossa amizade!
Levando a vida na calmaria, tentando baixar a tempestade do mar, vamos levando, até poder voltar a praia e curtir mais tardes de sol... rs

Adoro os polos... não sou muito do meio (acho que já falamos sobre isso nos blogs da vida)
Amor, rir e chorar, seja rir da tristeza, ou chorar pela alegria, é assim que tento buscar meu centro nas coisas da vida.

quanto as rugas, basta alguns exercicios faciais, para ajudar, mas envelhecer, são as linhas escritas por nós em nosso corpo!

(Huuuum, acho que nesse comentário, já tenho 2 fragmentos de um novo texto)

Obrigada Linda BettyFlor!

Beijos