23 de março de 2013

Quem te viu e quem te vê...


Houve um tempo em que eu fui uma grande conselheira (pelo menos pensava que sim.haha). Assim como quem não lê/vê/ouve notícias não tem assunto nem base pra discutir atualidades (coisa que eu nunca tive por opção/preguiça) quem não vive/convive com outros, acaba sem assunto e opinião pras coisas da vida também.
“Xi, Marquinho!”, finalmente você vai calar a boca? Huahauhaua. Não, não é pra tanto... ainda.
Quinta, no meio de uma conversa Luluzinha, me peguei pensando que, qualquer conselho baseado em vivência própria, provavelmente estaria defasado em alguns anos, pois eu parei de viver.

Ok, a cena não é tãaao depressiva quanto soa, mas como não estou ficando mais nova a cada ano, uma sementinha foi plantada na minha mente.

Durante a semana, eu vejo, faça chuva ou faça sol (ou fique enterrada em trabalho): meus 2 sócios. É muito pouco, né. E quando saio pra um Happy, geralmente o faço com os dois. Minha concha nunca esteve tão restrita. Quando tenho tempo, vejo meu personal, a Nadia e minha família.

Ontem, saí com os dois sócios (haha) e duas amigas e uma das conclusões foram: Você é nova pra nossa idade e velha pra idade dos nosso filhos... ou seja, estou no LIMBO dos relacionamentos. Não conheço muita gente da minha idade mesmo.

De vez em quando penso em fazer um curso, uma pós ou qualquer outra coisa que me obrigue a sair da zona de conforto e conhecer gente nova, que conhece gente nova e ampliar meus horizontes. Mas daí eu penso que não tenho tempo nem pra todos os meus afetos atuais e mal sobra tempo pra mim, como vou me dedicar a outras novas atividades e amizades?

Na verdade, verdadeira, preciso mesmo é me dedicar ao objetivo do começo do ano, que é fazer terapia e ver se eu ainda tenho conserto. E ver se eu volto a ser uma boa conselheira, com opinião formada e mutante sobre tudo e não me sentir mais impotente e diminuída diante do mundo capengo que encontro desmoronando à minha volta.

Beijos,
Betty.

Um comentário:

Kalu disse...

Ler a frase "parei de viver" me assustou, Betty!

Esta não é você! Vem logo.