25 de fevereiro de 2005

"Se a gente não fizesse tudo tão depressa"

Ontem, essa era a legenda de uma foto no flog da Ka (http://www.fotolog.net/kalulopes). Sim, to com preguiça de usar as tags pra linkar bonitinho...rs

Lendo a frase agora, penso que ela pode significar muuuuuuita coisa. Mas ontem, quando eu me peguei cantando a música, que creio, é do Kid Abelha (eu tenho mania de começar a cantarolar só de ouvir palavras soltas, imagina uma frase inteira...rsrsrs), comecei a pensar no meu primeiro, único e longo namoro...ou será melhor dizer ex-namoro? Enfim...

" Se não tivesse exagerado a dose, podia ter vivido um grande amor" e
"Um dia o caminhão atropelou a paixão" são as frases que resumem o meu namoro.

Com um começo normal, um meio muito feliz, um futuro promissor e um começo de fim muito, muito, muito ruim. Não, não fiquei triste com o término em si....mas sofri dores de todos os tipos até que chegasse ao fim, onde então, me senti aliviada.

A história toda, com fatos e sentimentos, é uma coisa que só eu sei. Nem ele sabe pois, acredito, não tinha e continua não tendo o poder de ler mentes...rs. Nunca contei tudo pra ninguém por alguns motivos. Primeiro, não curto mesmo....sempre fui muito reservada, mesmo parecendo ser um livro aberto. Segundo, tenho até vergonha de dizer certas coisas que eu tive que suportar. Sim, "tive", porque não é tão simples como todo mundo pensa "ué, não gosta, cai fora".

Nem eu, abrindo a gaveta da memória, não entendo "COMO?" não me matei, não entendo "por que?" não pulei fora antes, não consigo deixar de me sentir triste (enjoada acho que encaixa melhor), não consigo deixar de sentir pena (dos dois). Então, imagino que os outros não estão preparados pra ouvir sobre isso. Talvez estejam preparados pra ouvir e eu não esteja preparada pra receber a reação dos outros. Creio que é algo que vai morrer comigo.....ou, quem sabe, talvez, acabe num Divã...rs

Ontem, depois de um longo tempo, parei pra pensar sobre essas coisas. E, por conta da música, pela primeira vez pensei no "podia ter vivido um grande amor" depois do fim. Tinhamos tudo pra durar pra sempre (sete anos já são uma forma de "pra sempre" atualmente...rs). Vai soar prepotente, mas EU TINHA tudo. Porque sempre fui a parte que mais tolerou, mais permitiu, mais liberou, mais cedeu, mais se importou, mais perdoou (aliás, ele nunca perdoou), e, acredito, mais amou. Tanto é que, quando eu deixei de "mais fazer as coisas", nosso namoro terminou. Porque ele quis "mais fazer as coisas" tarde demais. Aí, "o caminhão" já tinha "atropelado" qualquer resto de amor que eu tinha.

Beijos, Betty.

4 comentários:

F LUQUETTI disse...

1. saudades.
2. fico feliz por seu novo blog
3. Como sempre me dizia uma ex-namorada >> que seja eterno enquanto dure!
4. As pessoas que passam em nossas vidas deixam seu recado (universal), e ainda que não o entendemos, em breve oportunidade irá compreender o motivo. Não se apoquente!


Saúde e SUCESSO(\__/)
(='.'=)
(¨)_(¨)

www.blogsbrasil.com
www.blogsbrasil.com/blog
www.blogsbrasil.com/vidaespirita

Anônimo disse...

Oi Betty.
Bom, eu nao sei o q te dizer, por isso nem vou tentar dizer nada sobre alguma coisa q eu nao sei e sobre uma coisa na qual eu nao tenho um pingo de experiência. Entao...so passei pra dizer q li seu post e te mandar um abraço...rs
Kris

Kalu disse...

Você é minha gemula, nao adianta! capitou direitinho.

te amo!

Anônimo disse...

Aí, Betty...
Parece que fui eu quem escrevi tudo isso... Por acaso vc tá falando do meu ex-namoro, é? Pois parece...
Até no que vc refere ao que sentia... e no que sofreu... Sei que todo o lance do seu namoro foi diferente do meu (tudo o que vc passou), mas os sentimentos são idênticos...

Só vc me entende, betty!
Te amo!
Bjs
Renata