30 de novembro de 2008

Você já sentiu que ia morrer?

Mas não assim, por estar doente.

Tinha uma época da minha vida que tudo era tão bom, mas tãaao bom que eu tinha medo de que algo bem ruim pudesse acontecer. Algo como a minha morte ou a de alguém muito próximo. Mas evitava ficar pensando pra não atrair esse tipo de coisa.

De uns tempos pra cá, tenho sentido saudade de muita gente. Saudade do tipo, gostaria de visitar todos eles antes do final do ano. Eu não me considero uma "pessoa de saudades". Claro que a sinto, mas..como explicar? Não é a saudade de chorar, de estar longe...são saudades quando lembro de coisas, momentos, e que me fazem feliz.

Ultimamente sinto todo tipo de saudade e isso me dá a estranha sensação de que quero me despedir de todos que eu amo. E, Ná, pensando dessa forma, a sua idéia pro seu blog não me soa mais tão mórbida assim.rsrs.

Calma aí, hein...não to pensando em morrer.rs

Apesar dos pesares, da vida estar sempre corrida; dessa história de "o tempo é a gente quem cria" não funcionar comigo; de a última vez que eu fui pra SP foi há um ano e eu nem percebi que o ano já acabou; de a última vez que eu postei foi há 4 meses e eu nem percebi que os meses se foram; de ter a sensação de que vc não está fazendo nada da vida cada vez maior; de estar chegando no meu limite no trabalho; de chorar de estresse, de saudade, de tristeza, de ver comercial de margarina(haha); de sentir muita falta do meu pai, mas sentir mais falta dos que ficaram;...apesar de tudo, não há segunda opção no quesito vida pra mim. Viverei pra sempre, até que chegue a hora (natural.rs).

Beijos!!

4 comentários:

Ná disse...

Eu já... e o interessante é q já tive fases q tive medo... mas agora não tenho mais. Tbém não tenho curiosidade... rs...

Ainda vou criar um blog pra mim... "aquele" blog...

Bjs

Kalu disse...

Amiga, vira essa boca pra lá, hein?

rs

Eu tenho muita saudade de vc e sinto-me uma amiga tão ausente.

Anônimo disse...

Pois é...eu sei que vou morrer e não vai demorar.E a única coisa que não quero é deixar as pessoas que amo(família e amigos) sentirem a dor que um dia eu senti quando perdi meu pai.Uma saudade sem explicação,e que ainda sinto..todos os dias.

Malu disse...

Se não há palavras para confortar os que ficam, não posso imaginar algo pra te dizer, além de um sincero sinto muito.