14 de fevereiro de 2007

lembranças...

...sexta foi minha formatura. Colação e festa. Passei o dia todo querendo chorar...de nervoso e de tristeza. A chegada da mana e do cunhado ajudaram muito...me fizeram sentir um pouco feliz com a festa. Meu irmão também foi um anjo.

Durante a festa deu tudo quase certo e consegui me divertir como em uma outra festa qualquer..ufa!

mas não vim aqui pra dizer da festa. Hoje fui levar o Dan no hospital...ele não conseguia andar de tanta dor no tornozelo...mas não tinha torcido. Só de colocar o carro na entrada da ambulância..muitas lembranças invadiram a minha mente.

A última vez que estive lá, quis matar uma enfermeira grossa que não foi capaz nem de responder uma simples pergunta pra minha mãe aflita...imagina se tivesse que nos atender. Ficamos sei lá quanto tempo no corredor do PS esperando liberarem um quarto lá em cima pra internarem meu pai ....lembro do meu pai desconfortável na cadeira de rodas, com dor no corpo todo, febre, tosse...e fora todos os problemas, um começo de pneumonia....e lembro do meu medo de perdê-lo naquele dia..eu só pensava...o que mais falta acontecer? Não tá bom, já, Deus ou sei lá quem?... Lembro que chorei tentando esconder e espero ter conseguido.

Lembrei que ele esteve lá mais uma vez e que eu nem imaginei e que não me despedi (acho que isso seria mais doloroso do que podemos suportar, mas ainda assim, é uma das coisas que mais me dói).

Hj não foi diferente...só gente grossa, que nos tratam como invisíveis. Depois de muito esperar, eis que um sujeitinho atende o Dan. O sujeitinho entitulado médico parecia uma piada. Mau-humorado, grosso, imprestável...mal examinou e já receitou um remédio. Estavamos com medo de ser mais grave e ele nem pra dizer...não, não é, certeza...só sabia fazer "e quem vai saber?" com as mãos. IDIOTA...pessoas como vc, deveriam se isolar do mundo, não cuidar de pessoas.

sei que pareço meio depressiva...mas acreditem, estou bem...são só coisinhas que desencadeiam coisonas...mas já passa.

Beijos.

2 comentários:

Mr. D disse...

As pessoas só se importam quando as coisas acontecem com elas ne.

Lucy disse...

Ainda acredito que a vida cobra da gente as atitudes ruins e recompensa as boas. Nessa vida, não há como pular etapas e o momento da cobrança chega para todos. É nessas horas que penso que quando a gente encontra alguém excepcional, seja como pessoa, seja como um bom profissional, não podemos deixar de dizer para elas o quanto fazem diferença na nossa vida, e, se possível, não podemos deixar de cobrar dos ruins, o nosso direito de ser respeitado. Me deixa feliz saber que você está aprendendo a cobrar seus direitos e o respeito que todo mundo precisa! Um beijão, Lucy.